Moda

Pensata sobre biquínis e a cultura da repetição

Comments (8)
  1. Veronica Franca disse:

    Super concordo com você!!! bjssss

  2. sininhu disse:

    Adorei o teu texto, Carla! Acho que tu toca no ponto fundamental em que todos os que trabalham com a indústria têxtil no Brasil deveriam refletir sobre.
    Isso também acontece aqui no Sul, principalmente na Serra Gaúcha, só que com as malharias. Sobra talento técnico mas falta ousadia na criação das modelagens!

    A questão não é nem glamourizar o que vem de fora, mas se apegar em um determinado padrão que seguem desde os anos 80 ou 90 e que pouco muda com o passar dos tempos. Há pouquíssimas fábricas interessadas em criar novidades e se destacar não apenas pela qualidade do produto, mas também pela estética dele. O que é essencial na moda! Aqui na minha cidade, por exemplo, há diversos cursos técnicos de malharia onde se aprende novidades de fios e máquinas, mas raríssimos de desenho e criação.

    Não sei se isso acontece pela falta de aceitação do mercado para as novidades ou se o público continua comprando e usando a mesma coisa apenas por encontrar só isso nas prateleiras das lojas. É meio que um ciclo vicioso em ambos os casos.

    Beijo

    1. Carla Lemos disse:

      É isso, babe! Um ciclo vicioso, pq o dono da marca diz que trabalho autoral não vende pq o público quer comprar a peça igual da revista ou novela, mas o que cliente gosta mesmo é de roupa bonita que veste bem! E tem que investir em toda a cadeia: estilista, modelista, vitrinista e também nas vendedoras. Elas precisam ter mais informação de moda, até pra poder usar argumentos mais inteligentes de venda do que os clássicos (e insuportáveis): “esse daqui tá saindo muito” “esse é igual o que a fulana usou na novela” etc.

      Beijão <3

  3. Tati disse:

    Moro aqui na Região dos Lagos desde sempre (tenho 32 anos) sou de São Pedro da Aldeia, cidade vizinha a Cabo Frio. A Rua dos Biquínis já teve seu período de glória, e isso tem muuuuuuuuuuito tempo. O problema é esse, ela parou no tempo… se lançou, criou fama e simplesmente estagnou, e consequentemente essa estagnação levou a decadência que vc presenciou. Hoje a famosa “Rua dos Biquínis” não passa de tudo o que vc falou, pura decepção! E dá muita pena ver um ponto turístico tão importante e conhecido da cidade perdendo seu valor por pura falta de conhecimento, criatividade e empreendedorismo. Bjs, Tati

    1. Carla Lemos disse:

      Oh Tati, é tão triste, né? A galera lá precisa acordar… Beijão!

  4. Sophia Katsilis disse:

    Isso tudo que você falou infelizmente é o que ocorre em muuuitas confecções do país. Sou designer de moda e já passei por alguns lugares onde, mesmo tendo mão-de-obra contratada capacitada para criar, a ordem era “copiar da Farm”. Só que falta ousadia, criatividade e um timing correto para investir em ideias novas e muitos dos empresários donos de confecções preferem não arriscar e continuar na zona de conforto.

  5. Sabrine Souza disse:

    Carla, sou designer, trabalho no polo de confecções do agreste Pernambucano[Caruaru, Santa Cru, Toritama] por aqui tbm não e muito diferente.A alguns anos o esse quadro de repetição e copia começou a mudar um pouco com a implementação da universidade federal e de instituições como o senai/senac/sebrae.

    Abastecemos o mercado de gente talentosa e eficiente, mas, a metodologia de trabalho
    adotada pelas empresas locais quase não permite o aproveitamento de tanto talento. Temos um mercado cheio de designers eficientes e capazes e um empresariado com a tal síndrome do vira
    lata.
    Coloca Pernambuco nessas tuas visitas, vem aqui em Caruaru conhecer um pouco do rola por aqui na moda. Mesmo com tantos problemas [ que pelo visto se repetem no brasil inteiro] Pernambuco e um seleiro de talentos e algumas marcas novas surgindo no mercado pra tentar mudar
    esse cenário.

    Adoro teu trabalho. <3

  6. Faz tempo que eu não passeio pela Rua dos Biquínis, mas posso dizer que da última vez que fui tive a mesma impressão que você. Achava que iria encontrar modelos diferentes, ideias novas, mas só encontrei mais do mesmo. É uma pena, tenho certeza que tem um monte de gente doida por uma oportunidade de lançar uma coleção nova…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *